Skip to content

JMJ 2011 Santos e Padroeiros: São João da Cruz, enamorado de Deus

2 febbraio 2011

O santo de Ávila viveu uma história de amor apaixonante na qual nunca se separou do seu amado.

São João da Cruz era um enamorado. Viveu enamorado e morreu enamorado. Com isto se poderia começar e terminar a biografia da vida de um dos santos padroeiros da Jornada Mundial da Juventude de Madrid.

Juan de Yepes Álvarez nasceu em 1542, em Fontiveros, província de Ávila, filho de uns tecelões. Na casa paterna João tenta aprender o ofício familiar, mas não se dá bem e começa a trabalhar como criado do director do hospital de Medina del Campo, cidade para onde se deslocou a família, quando João tinha 9 anos.

Junta, ao seu trabalho, os estudos no recém-fundado colégio dos Jesuítas. A espiritualidade de João cresce com os anos. Aos 21 decide entregar-se a Deus no convento dos Carmelitas de Medina e adopta o nome de Frei João de São Matias. Entre 1563 e 1564 realiza o noviciado e os seus enviam-no a Salamanca para estudos avançados em Artes. Antes de finalizar os seus estudos, João é ordenado sacerdote em Medina e celebra a sua primeira missa perante a sua família mais próxima.

1568 marca o resto da sua vida: conhece Santa Teresa de Jesus, imersa na fundação de conventos do ramo reformado das Carmelitas. A santa de Ávila fica impressionada com a espiritualidade de João e incita-o a iniciar a reforma entre os frades.

A reforma do Carmelo iniciada por Santa Teresa procurava revitalizar os fundamentos da ordem, voltar às suas origens. João muda o seu nome para João da Cruz e funda o primeiro convento reformado na localidade castelhana de Duruelo. No segundo mês da fundação, juntam-se dois frades, formando a primeira comunidade masculina do Carmelo reformado.

A espiritualidade de João cresce com os anos, mas Deus quis purificar a sua alma com as provas mais duras, retratadas pelo santo na Noite escura da alma. Depois de gozar da contemplação na oração, começou a sofrer sequidão espiritual, terríveis escrúpulos e solidão interior. Ao sofrimento espiritual uniram-se as tentações, que fizeram com que João se aproximasse mais de Deus.

Entretanto, recrudesciam as dificuldades entre os carmelitas e os descalços. Em 1577, João nega-se a obedecer ao provincial de Castilla que o enviava para Medina, alegando que o núncio do Papa lhe tinha pedido que ficasse em Ávila. João é preso e levado para uma prisão da distante Toledo, já que em Ávila estava espalhada a sua fama de santidade.

João passa dolorosos meses na prisão, é torturado, sofre inumeráveis penúrias. Neste tempo, nascem os primeiros versos do Cântico Espiritual, o pranto de uma alma ardente perante o seu amado:

Onde te escondeste,
amado, e me deixaste em gemido?
Como o veado fugiste,
tendo-me ferido;
saí atrás de ti, clamando, e tinhas partido

São João, nos seus escritos, dá-nos uma lição de amor. João não espera Deus, acode-Lhe humildemente. Busca-o constantemente nos anos de sequidão, “sem outra luz e guia/senão a que no coração ardia”, sentindo saudade da sua presença. João ensina-nos que essa permanente inquietude, que todos temos no nosso coração, não é mais do que fome de Deus. João saciou-a com superabundância.

João da Cruz vive uma história de Amor na qual, apesar de todas as dificuldades, perseguições e humilhações, a sua tábua de salvação é Deus.

João acaba por fugir da sua reclusão por intercessão da Virgem e viaja para a região do sul, Andaluzia, onde continua a fundar conventos e sofre os vaivéns das lutas internas dos Carmelitas. Apesar disto, a santidade de João é apreciada e recebe cargos de responsabilidade na comunidade.

Depois de inumeráveis viagens por Andaluzia e Portugal, em 1590 é destituído de todos os seus cargos por um novo confronto doutrinal. Passa o último ano da sua vida gravemente doente no convento de Úbeda, onde morre a 14 de Dezembro.

São João da Cruz ensina-nos, com a sua vida e os seus escritos, aquilo que já nos disse Santa Teresa: “Só Deus basta”. Os seus ensinamentos contidos nos versos mostram uma grandiosidade mística que ninguém igualou, valendo-lhe o título de Doutor da Igreja.

http://www.madrid11.com/pt/caminho/419-san-juan-cruz

No comments yet

Lascia un commento

Inserisci i tuoi dati qui sotto o clicca su un'icona per effettuare l'accesso:

Logo WordPress.com

Stai commentando usando il tuo account WordPress.com. Chiudi sessione / Modifica )

Foto Twitter

Stai commentando usando il tuo account Twitter. Chiudi sessione / Modifica )

Foto di Facebook

Stai commentando usando il tuo account Facebook. Chiudi sessione / Modifica )

Google+ photo

Stai commentando usando il tuo account Google+. Chiudi sessione / Modifica )

Connessione a %s...

%d blogger cliccano Mi Piace per questo: